• Ideia Verde

Substratos para jardim: o que são e os principais tipos


Antes de partirmos para a prática na jardinagem, necessitamos de muito estudo. Nessa parte teórica, há muitos termos técnicos que podem nos confundir e conceitos aparentemente complexos capazes até de nos desencorajar. O intuito central das nossas postagens aqui no blog da Ideia Verde é justamente descomplicar esse universo e te mostrar como as coisas são mais simples do que parecem.


Há um termo técnico – com diversos conceitos por trás – que ainda confunde muita gente e faz com que o plantio pareça mais difícil do que realmente é. Estamos falando do substrato, basicamente o material no qual será realizado o cultivo das suas mudinhas. Mas, o que exatamente são? Quais são suas categorias? Como eu escolho um deles na hora de ir a uma floricultura? Essas são as questões que buscaremos responder da maneira mais simples possível no texto de hoje. Confere aí!


Substrato e terra: é a mesma coisa?


Terra é um daqueles termos de fácil compreensão que, por conta disso, acaba virando sinônimo genérico para muita coisa, invadindo inclusive outras definições mais apropriadas. É mais ou menos isso que acontece com os substratos: enquanto terra é uma concepção mais ampla e envolve vários exemplos, o substrato é como uma terra preparada com outros ingredientes e preparada para cultivos específicos. É uma receitinha para deixar o plantio do melhor jeito possível.


Suas funções são diversas: fornecimento de nutrientes na medida de cada muda, simulação do ambiente ideal para a realização da fotossíntese e criação de uma reserva de água – fator que beneficia não apenas a planta individualmente, mas o jardim e a saúde desse ecossistema como um todo.


Quais são os tipos?

Seguindo a analogia que criamos – a de “receitas” para a sua muda –, é fácil entender como existem diversas modalidades desses compostos. A maioria deles, entretanto, categoriza-se pelas particularidades de sua viscosidade e textura física. Ou seja: se são argilosos, arenosos, os dois ao mesmo tempo ou próximos da matéria orgânica já presente em terras comuns.


Existem ainda os compostos de matéria orgânica, que incluem à mistura de terras vegetal e comum uma parte de composto natural. Substrato de matéria orgânica, aliás, é o que você encontra no varejo com o nome de “terra pronta para plantio”. Eles são absurdamente nutritivos para as plantas e caem bem com boa parte das espécies. Os substratos arenoargilosos são uma mescla de todos os outros e funcionam bem para as plantas drenáveis e de muita água.


Viu como as coisas não são tão complicadas quanto parece? Se ainda restaram dúvidas, você pelo menos já tem base para se instruir com os profissionais de floriculturas. Procure entender as mudinhas do seu jardim, conhecendo os perfis de planta de cada uma – assim, você saberá quais são as necessidades delas. O substrato ideal virá a partir desse levantamento!