• Ideia Verde

Saiba quais são os principais erros de cultivo que podem estar matando suas plantas e como evitá-los


O hábito de cultivar plantas teve um crescimento significante nos últimos meses, decorrente ao impacto da pandemia do novo coronavírus em nossa rotina, influenciando com que encontrássemos novos meios de entretenimento e lazer. No entanto, é preciso se atentar aos cuidados diários para obter uma plantação saudável e evitar com que erros comuns possam prejudicar o desenvolvimento das espécies.


Para isto, selecionamos os principais erros cometidos durante as formas de cuidados com o cultivo de plantas em casa e dicas para que você possa identificá-los o quanto antes e salvar suas espécies de possíveis mortes. Confira abaixo:


Frequência de rega:

Cada espécie deve receber uma certa quantia de água para que se obtenha um desenvolvimento saudável e bem-sucedido. Contudo, muitas pessoas têm o costume de regar em excesso ao acreditarem que isto fará suas plantas ficarem mais bonitas, enquanto outras, por medo de exagerarem na frequência de água, acabam por regar de menos, prejudicando igualmente.

Por isso, se atentar em quais são as necessidades que cada planta precisa, observando como elas se comportam em cada estação do ano é essencial para mantê-las vivas.


Muita ou pouca luz:

Assim como a rega, cada espécie necessita receber diferentes graus de luz ao dia. Para identificar se suas plantas estão recebendo a quantidade adequada é preciso observar a cor das folhas, que podem ficar queimadas em caso de muita luz ou pálidas em casos de pouca luminosidade.


Temperaturas extremas:

A maioria das plantas se adequam a ambientes úmidos e de temperaturas entre 18 a 21° graus, estabelecendo uma média não muito fria e nem muito quente. Para isto, é importante sempre lembrar de trocá-la de lugar ao passar das estações, para que evite com que elas tenham este contato direto com as temperaturas extremas, principalmente no inverno e verão.


Realizar a poda:

Podar as partes mais antigas das plantas auxilia a dar mais força às hastes novas, principalmente após a floração e frutificação, além de fazê-la dar mais flores nas próximas estações e garantir com que tenham acesso a luz.


Replantio:

A maioria das plantas precisam ser replantadas em um período de um ou dois anos, dependendo de seu desenvolvimento e crescimento. Para isto, opte por vasos maiores do que os atuais, com uma terra nova e adubada para que ela continue a crescer saudável e com os nutrientes e espaço necessário. Um ponto que pode ajudá-lo a identificar o momento certo para esta mudança é observar se as raízes estão saindo pelos furos de drenagem da água, a partir disso, você já pode mudar para um vaso maior.


Cuidado com as pragas:

Alguns insetos podem prejudicar a saúde de nossas plantas, como mosquitos, ácaros e moscas brancas. O primeiro passo para combatê-las é exterminando as pragas e aguardar entre 30 dias para introduzir novas plantas na área, além de retirar do local as plantas que não foram atingidas pelas pragas para evitar a disseminação de possíveis doenças.


Fertilização do solo:

Um solo bem adubado e com os nutrientes necessários é primordial para uma plantação bem-sucedida. Há inúmeras formas de estimular esses nutrientes, como suplementos específicos para cada espécie, humus de minhoca, ou substrato adubado, o importante é manter o solo sempre fertilizado.


Gostou das nossas dicas? Deixe suas dúvidas ou mais dicas nos comentários. Não esqueça de compartilhar o artigo em suas redes sociais!